A Adufpa manifesta o seu mais profundo pesar pelo falecimento de forma tão prematura e inesperada do Prof. Dr. Silvio Augusto de Oliveira Holanda, ocorrida na última segunda-feira, 8. Sem dúvida, uma perda inestimável aos estudos literários e a toda comunidade acadêmica.

Silvio Holanda era docente da Faculdade de Letras e do Programa de Pós-Graduação em Letras, foi coordenador do Programa de Pós-Graduação em Letras e diretor da Faculdade de Letras.

Neste momento nos unimos em nossas mais sinceras condolências aos familiares, parentes, amigos, alunos, orientandos e ex-orientandos deste professor que se dedicou profundamente à Educação Pública.

Com o tema “Impactos e Desafios do Trabalho Docente na Pandemia”, começou hoje, 10, o V Encontro de Docentes da UFPA. A proposta do evento é aprofundar as discussões sobre temas fundamentais para a garantia da educação pública, gratuita e de qualidade. A programação segue até sexta-feira, 12, em ambiente virtual, com transmissão por meio canais do Facebook https://bit.ly/30qp0Gv e YouTube: https://bit.ly/30qp0Gv

Os participantes receberam as boas-vindas com a poesia de Antônio Juraci Siqueira e Heliana Barriga. Dirigentes da Adufpa, da ANDES-SN, do Sinditifes, Sinduepa e CSP Conlutas compuseram a de abertura. Durante os pronunciamentos, se destacou o cenário atual da pandemia do coronavírus, a garantia de sobrevivência da população diretamente impactada e necessidade de políticas eficientes de enfrentamento.

Os ataques gestados pelo governo Bolsonaro, o desmonte do ensino público e o Ensino Remoto Emergencial (ERE) como projeto do Capital, tema que será abordado nesta quinta-feira, 11, também foram assuntos pontuados durante a abertura do encontro. “As universidades públicas são fundamentais para combater a covid-19. Consequentemente, é preciso reforçar a luta em defesa da ciência e dos serviços públicos. Para termos êxito nisso temos que reforçar a luta pelo "fora Bolsonaro e Mourão". Num cenário de muito obscurantismo, nos resta teimar em cultivar a esperança”, destacou o diretor-geral da Adufpa, Gilberto Marques.

No primeiro dia de programação, o debate trouxe à pauta “A Reforma Administrativa do governo Bolsonaro – EC Nº 32 e seus Impactos nas Universidades Públicas”. O professor doutor da USP, Marcus Orione, contextualizou o cenário em que se forma a PEC 32, fazendo um resgate da origem do capitalismo brasileiro, com a crítica permanente entre essência e aparência, que tende a ocultar a forma violenta da exploração da mão de obra. “É nessa premissa que nasce a Reforma Administrativa, aproximando o público do privado, colocando elementos desconstrutivos ao serviço público”, disse.

Orione indicou três pontos cruciais que revelam a tentativa de desconstrução do governo contra o serviço público: a perda da estabilidade, o aumento das contratações temporárias e a militarização do ensino superior. “A contratação temporária é perniciosa e sugere que em caso de greve pode haver contratação que, junto com o fim da estabilidade dos servidores, é um barril de pólvora”, observa.

O segundo convidado foi o professor doutor Luíz Henrique Schuch, da Universidade Federal de Pelotas (Upel). Em sua exposição, ele lembrou que o processo de privatização dos serviços públicos vem sendo orquestrado há anos culminando na proposta da Reforma Administrativa, que traz em seu texto fragilidades propositais e itens de desconstitucionalização que deixam óbvios seus objetivos. “A PEC 32 funciona mais ou menos como uma pinça, de um lado ela postula esse novo regime para o Estado, e, por outro lado, cria ações e instrumentos para executar e operar os conceitos. E sempre com a satanização dos serviços e dos servidores públicos”, ressalta.

O encontro segue nesta quinta, 11, às 14h, abordando os impactos do Ensino Remoto Emergencial (ERE) na Educação Superior e no Ensino Básico Técnico Tecnológico (EBTT). Participam do debate o professor doutor Lalo Minto, da UNICAMP, a professora Claudia Baigorria, da Universidad Nacional del Litoral, Santa Fé/Argentina e a professora Renata Flores, do Colégio de Aplicação da UFRJ.

Confira a programação dos próximos dias:

 

Dia 11/03/2021

Mesa 03 – O ERE e seus Impactos na Educação Superior e EBTT; (de 14h - 16h)

Mediadores/as:

Luciene Medeiros - Adufpa.

Ivan Neves - Adufpa.

José Carneiro - Adufpa.

Expositores/as:

Prof. Dr. Lalo Minto - UNICAMP (14h – 14h25min). 

 Prof.ª Claudia Baigorria – Universidad Nacional del Litoral, Santa Fé - Argentina (14h25min – 14h45min).

Prof.ª Renata Flores – Colégio de Aplicação da UFRJ (14h45min - 15h10min).

Debate: de 15h10min – 16h10min

 

Mesa 4 -  Luta contra as opressões nas universidades (de 16h10min – 18h10min)

Mediadores/as:

Dalva Santos - Adufpa.

Adolfo Neto - Adufpa.

Expositores/as:

Prof.ª Dra. Caroline de Araújo Lima – UNEB (16h10min - 16h40min)

Prof.ª Dra. Lilian Sales – UFPA/Castanhal (16h40min – 17h10min)

Debate: de 17h10min às 18h10min

 

Dia 12/03/2021 

Mesa 05 - Financiamento da Educação Superior (8h30min – 10h30min)

Mediadores/as:

Fátima Moreira (Adufpa).

Welson Cardoso (Adufpa).

Expositores/as:

Prof. Dr. Luiz Fernando Reis - UNIOESTE. (8:30h - 9:00h).

Prof. Emerson Duarte Monte - UEPA.  (9:00h - 9:30h).

Debate: de 9h30min - 10h30min

 

Mesa 06 – Carreira Docente na Educação Superior e na EBTT (10h30min – 12h30min)

Mediadores/as:

Andrey Faro - Adufpa.

Ailton Miranda - Adufpa.

Expositoras:

Prof.ª Dra. Eblin Farage (UFF) -  Educação Superior (10h30min - 11h).

Prof.ª Dra. Jennifer Webb Santos (UFPA) – EBTT (11h – 11h30min).

Debate: de 11h30min – 12h30min

 

Encerramento (de 12h30min - 13h)

Síntese das apresentações, encaminhamentos e saudação final.

 

 

 

 

 

Participe da reunião do Grupo de Trabalho de Política Educacional (GTPE) da Adufpa, que será realizada na próxima sexta, 19, via Google Meet (O link será divulgado apenas no dia, por questão de segurança).

Pauta:
📌 Informes;
📌 Deliberações da reunião do setor;
📌 O que ocorrer.

Aguardamos você!

Já estamos no aquecimento para o V Encontro de Docentes da UFPA, que será realizado virtualmente de 10 a 12/03. Vamos debater temas fundamentais para a garantia da educação pública, gratuita e de qualidade que está sob constante ameaça de Bolsonaro. Já no primeiro dia, além da mesa de abertura, discutiremos com os professores doutores Marcus Orione (USP) e Luiz Henrique Schuch (UFPel) sobre a Reforma Administrativa. O evento será aberto para toda a comunidade acadêmica da UFPA e para quem mais quiser participar.
A inscrição é gratuita - https://abre.ai/adufpa.

Participe!

Taxar as grandes fortunas e garantir o auxílio emergencial
 

Mais uma atitude criminosa em redes sociais. Desta vez, partiu de um herdeiro e também gerente da rede de supermercados Líder, que defende que os recursos para o auxílio emergencial sejam retirados dos salários de professores e professoras, ao acusá-los de estarem sem trabalhar.
Os seguidores de Bolsonaro são negacionistas, anti-ciência, anti-educação pública e anti-Amazônia e suas populações. Defendem a taxação dos insumos necessários à produção da vacina mas aplaudem a não taxação da compra de armas e munições e a expansão da aquisição do número de armas por pessoa.
São anti-vacina mas furam a fila; são contra o uso da máscara porque não trabalham, vivem da exploração do trabalho de outros/as.
São contra recursos e investimentos públicos para a ciência, tecnologia e educação, única forma de garantir nosso desenvolvimento social com soberania.
Nós, professoras e professores somos trabalhadores/as da educação e continuamos trabalhando na pandemia com ensino remoto e nossa casa virou ambiente escolar, virtual. Vivemos a ameaça da Reforma Administrativa que representa o fim dos serviços públicos para atender e garantir direitos sociais básicos à nossa população.
Por isso, a ADUFPA está solidária às Professoras e Professores de todos os níveis de Ensino, de Instituições públicas e privadas e, defende:
#Revogaçãodaemendaconstitucional95 que congela por 20 anos os investimentos em saúde, educação e saneamento;