Os ataques do governo Bolsonaro contra o serviço público são constantes e a Reforma Administrativa é uma das principais investidas para desmonte da categoria. A proposta, que altera disposições sobre servidores, empregados públicos e organização administrativa, começou a tramitar em fevereiro, e tem como principal objetivo a precarização institucionalizada dos vínculos de trabalho na esfera pública.

“Contra a Reforma Administrativa e em defesa da vacina para todas e todos” é o tema da campanha estampada pela Adufpa a partir desta sexta-feira, 16, nas ruas de Belém Ananindeua, Castanhal, Abaetetuba, Cametá, Bragança e Altamira. O manifesto, por meio de 25 painéis distribuídos na capital paraense e áreas centrais das demais cidades, chama atenção da população para a luta em defesa dos serviços públicos.

A perda da estabilidade, o aumento das contratações temporárias, a militarização do ensino superior são algumas das propostas catastróficas previstas pela PEC 32 e que impactam não somente o funcionalismo público, mas toda a sociedade. Na mesma direção a Adufpa defende a vida, destacando a necessidade da vacinação em massa para toda a população. "Ao mesmo tempo em que a campanha defende a vacinação em massa já, também chama a população a defender os serviços públicos, essenciais para evitar mais mortes pela Covid-19", reforça o diretor-geral da Adufpa Gilberto Marques.